25 de Fevereiro

Gostou? Ajude a espalhar por aí...

Sem nada melhor pra fazer, Orson Welles decidiu narrar uma invasão de marcianos no rádio. O ano era 1938 e o rádio era a internet da época, exercendo enorme influência sobre a população. As pessoas apavoradas, a preparação das autoridades para uma catástrofe iminente e até suicídios ficaram na mente das pessoas. Quase 3 anos depois, Pearl Harbor era atacada de surpresa pelos japoneses em “uma data que viveria na infâmia”, como disse Roosevelt. Os americanos andavam com nervos à flor da pele.

O dia 25 de fevereiro de 1942 estava em seus primeiros minutos quando as sirenes avisaram que as forças militares de Los Angeles viram alguma coisa. Sim, alguma coisa. Canhões de luz iluminavam a ameaça que ninguém via. 1.400 projéteis foram disparados em direção ao céu. 10 mil pessoas foram às ruas. A “terrível” Batalha de Los Angeles deixou como saldo toneladas de pânico, 6 mortos (3 por estilhaços e 3 por ataque cardíaco) e mais uma teoria da conspiração para os ufólogos. Relatos da população falavam de diferentes impressões: um objeto, vários objetos, uma esquadra inimiga…

Foto tirada durante a “Batalha de Los Angeles”

Quando algo não tem contornos definidos, a impressão de cada um ajuda a desenhar o que de fato aconteceu. Este entendimento vale também para um estilo artístico, o Impressionismo.

Auguste Renoir não se considerava um Impressionista, embora o fosse na maior parte de suas obras. Nascido em 25 de fevereiro de 1841, era contemporâneo e amigão de Monet, que dera nome ao estilo com a obra “Impressão: nascer do sol”, em 1872.

Dizem que o impressionismo surgiu porque a tinta preta acabou e os pintores não tinham dinheiro para a reposição. Isso não passa de uma brincadeira com o fato de que não há contornos em uma obra impressionista, portanto o preto é desnecessário… mas o batismo real do movimento também teve sua dose de cinismo.

Monet pintou “Impressão: nascer do sol”, em 1872. O estilo levou à crítica provocativa do também pintor, Louis Leroy, com uma provocação: “…Pensava eu, se estou impressionado é porque lá há uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha.” O tiro saiu pela culatra: os criticados gostaram do conceito cunhado pelo crítico e, assim, obras em que a luz e o movimento compunham uma cena por meio de pinceladas soltas ganhava o título de Impressionista.

“Impressão: Nascer do Sol”, obra de Monet que deu origem ao Impressionismo.


Gostou? Ajude a espalhar por aí...

2 thoughts on “25 de Fevereiro”

  1. Sergio L.Cibulski disse:

    O ano de 1942 documentou a invasão dos marcianos nos EUA. Atualizando o fato imagine uma invasão dos petistas no Planalto divulgada como fake news pela internet. O desespero logo estaria espalhado por todo país e hordas de bolsonaristas caminhariam, entoando slogans, com o objetivo de expulsar do palácio os invasores.Pastores seriam convocados para invocar o bem e destruir o mal provocado pelos vermelhos. Manifestações seriam convocadas, começando pela Avenida Paulista e a Bolsa depois de uma queda de muitos porcentos começaria a se recuperar. O outro lado, com a possibilidade de retomar o poder, iniciaria carreatas pelo nordeste comandada pelo valente nordestino.Retomar o poder seria magistral. Com o caos estabelecido o militares dariam o golpe fatal na balburdia desligando a internet no Brasil. O remédio amargo traria como consequência a paz de volta ao Brasil. Felizmente foi só um pesadelo e assim todo mundo pegou a corroída carteira de trabalho e voltou a procurar o almejado emprego.

  2. Gileno Bezerra disse:

    Excelente matéria. Gostei demais. Um abração no Sérgio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post